Gostou do post? Ajude-nos votando nas estrelas AQUI Abaixo 👇

O óleo de coco é uma gordura vegetal multifacetada e que costuma esbarrar em algumas polêmicas, mas é muito utilizada para diversas experimentações, com finalidades distintas. Alguns optam por seu uso para queimar gordura indesejada, outros gostam de hidratar os cabelos com ele, há também quem o utilize na gastronomia saudável, muitas vezes como substituto de gorduras mais nocivas, como manteiga e margarina.

Os múltiplos usos do óleo de coco

O óleo de coco é uma gordura vegetal extraída da fruta coco, sendo existente em dois tipos, como alimento funcional: o refinado e o extravirgem. O refinado é feito a partir do coco seco, enquanto o extravirgem provém do coco fresco, sendo necessária sua extração até 48 horas depois da colheita, preferencialmente de frutas comprovadamente orgânicas.

Ele é comumente utilizado em estado líquido, sendo armazenado em temperatura ambiente, mas pode se tornar branco e sólido se submetido a temperaturas baixas. O ideal é que um bom óleo de coco não seja estragado quando armazenado durante uma certa quantidade de tempo. É, contudo, um alimento ainda polêmico, por não ser unanimidade dentre os especialistas da área da saúde quanto o seu uso benéfico. Rico em distintas formas de gordura saturada, o óleo de coco é famoso por ajudar em dietas de emagrecimento.

 

Conheça os benefícios do óleo de coco

Cuidado estético

Seu consumo pode melhorar a elasticidade da pele, e seus antioxidantes são aliados do combate aos radicais livres, responsáveis pelo envelhecimento precoce.

Emagrecimento

Pesquisas comprovam que, embora seja uma gordura saturada, o óleo de coco pode ajudar a reduzir o peso. A gordura proveniente do alimento, quando quebrada no tecido adiposo, é utilizada em forma de energia, não ficando acumulada no organismo de maneira localizada – ou seja, formando os indesejados “pneus”.

O óleo de coco também é eficaz no auxílio ao aceleramento do metabolismo do organismo, já que o ácido láurico, presente na gordura vegetal, faz com que as células trabalhem de maneira acelerada. O óleo de coco, ainda segundo estudos, indica o aumento do volume da massa magra e do fortalecimento muscular.

Saciedade

Uma forma de emagrecer é sentir saciedade durante as refeições, e, portanto, evitar fazer lanchinhos fora de horário. Consumir óleo de coco no café da manhã, por exemplo, proporciona a sensação de que a quantidade de alimento ingerido foi maior, o que faz com que a pessoa sinta menos fome e, portanto, consuma menos alimento nas próximas refeições.

Além de adicionar o óleo de coco na dieta de emagrecimento, mudanças na forma de consumo de gordura também devem ser feitas: trocar as carnes vermelhas e frituras por carnes brancas, oleaginosas, azeite de oliva e grãos, como chia e linhaça, são atitudes muito bem-vindas.

Combate à prisão de ventre

A gordura do óleo de coco auxilia na digestão, já que se mistura ao bolo alimentar e fecal, melhorando sua passagem pelo sistema digestivo. Além do mais, o ácido láurico presente no alimento elimina as bactérias nocivas do intestino, favorecendo o funcionamento da flora intestinal.

Reforço do sistema imunológico

O ácidos láurico e o ácido cáprico, presentes no óleo de coco, oferecem a possibilidade de reforçar o funcionamento do sistema imunológico. Seu consumo tem eficácia contra fungos, vírus e bactérias.

Hidratação capilar

O uso do óleo de coco também é recorrente na estética, pois a gordura pode ser utilizada como hidratante natural de cabelos, deixando-os mais visivelmente brilhantes e macios.

Favorecimento do bom colesterol

Algumas pesquisas vêm demonstrando a eficácia do óleo de coco no aumento do colesterol bom, o HDL. Contudo, o óleo vegetal não é recomendado para pessoas que consumam anticoagulantes, e seu uso para pessoas com colesterol ruim alto deve ser moderado. O acompanhamento médico é sempre a melhor opção.

O óleo de coco é, sobretudo, composto por gorduras e em maior parte, saturada, que faz parte de 87% de sua composição. Este alto teor de gordura saturada o torna contraindicado, quando consumido em excesso, para pessoas que tenham em alta seus índices de colesterol LDL, o ruim.

A quantidade diária média recomendada de gorduras saturadas é de 22 gramas para um indivíduo consumidor de 2 mil calorias por dia. Assim, a porção indicada do óleo de coco é de 15 gramas, presentes em uma colher de sopa.

Para quem tem dúvidas sobre como adicionar o óleo de coco no prato, uma boa pedida é incluí-lo em refeições frias, como saladas, vitaminas e sucos naturais de frutas. Ele também costuma ser utilizado como substituto de óleo de soja ou margarinas em preparações de pratos quentes, mas isso é menos indicado, já que assim, pode perder suas propriedades antioxidantes. Em pratos quentes, utilize o óleo de coco apenas em sua finalização.

Ficou com vontade de experimentar as maravilhas e benefícios provenientes do óleo de coco em sua rotina? Não perca tempo e adicione à sua dieta agora mesmo esse incrível óleo vegetal!

Curtiu ? Ficou curioso ? Leia mais sobre Saúde no nosso blog.

Deixe um comentário