Tag: cloreto

Cloreto de Magnésio: Você conhece seus efeitos colaterais

Cloreto de magnésio: efeitos colaterais

O cloreto de magnésio é um sal inorgânico que pode ser encontrado em grande quantidade dissolvido na água do mar. Ele costuma ser muito utilizado na forma de suplemento alimentar, sendo uma combinação do magnésio e do cloro e serve para repor a falta desse último ingrediente no organismo. Ele pode ser ingerido na forma de suplemento ou como um nutriente encontrado nos alimentos, sendo bastante presente em vegetais verdes e nozes. Vale ressaltar que o organismo precisa de cerca de 200mg de magnésio por dia, e o cloreto de magnésio apesar de ser composto apenas por 12% dessa substância é a melhor maneira de consumi-lo e garantir a sua absorção. A concentração dele no organismo humano é de aproximadamente 25 gramas sendo que essa quantidade se distribuiu principalmente nos ossos, seguido pelos músculos e glóbulos vermelhos. Um estudo da agência de alimentos e medicamentos dos Estados Unidos, Food Drug Administration considerou que a sua utilização na forma de suplementos é segura, entretanto, pode haver cloreto de magnésio efeitos colaterais em alguns casos isolados. Outro fator que afasta um pouco as pessoas do consumo do suplemento é o sabor amargo que ele pode ter. Quando se tem falta de magnésio no organismo é preciso buscar maneiras de fazer essa reposição a fim de evitar danos e problemas de saúde, pois, ele se envolve em mais de 300 funções enzimáticas.

Para que serve o cloreto de magnésio?

O magnésio é essencial para o organismo, pois, permite que sejam realizadas diferentes funções vitais. Pode-se dizer de maneira resumida que ele ajuda a cuidar da saúde e garante uma melhor qualidade de vida, afastando problemas que podem ser de ordem biológica ou nutricional. O uso do cloreto de magnésio ajuda a garantir uma boa saúde e traz benefícios como:
  • Ampliar as funções cerebrais facilitando o aprendizado e memória
  • Fortalecer os ossos ajudando a metabolizar sustâncias que combatem a osteoporose
  • Combater as infecções com seu efeito imunoestimulante e que estimula as atividades dos leucócitos
  • Contribuir com os atletas uma vez que evita a contração muscular e melhora a musculatura
  • Tratar e prevenir dores de cabeça e enxaqueca
  • Prevenir a perda de audição, principalmente a decorrente de ruído
  • Diminuir o efeito do estresse, ansiedade e depressão
  • Contribuir com o equilíbrio do Ph do organismo
  • Reduzir a pressão arterial e consequentemente diminuir os riscos de problemas vasculares, derrames e hipertensão
  • Contribuir com o funcionamento das funções hepáticas
  • Ajudar no tratamento da diabetes, pois, contribui com a metabolização do açúcar
  • Diminuir a cólica menstrual e a TPM
  • Reduzir as crises de asma, pois, dilata as paredes dos brônquios
  • Contribuir com o emagrecimento se houver deficiência desse mineral no organismo, por ele ser ajudar na quebra de gordura. Entretanto, esse não é um método de emagrecimento e deve ser realizada atividade física e reeducação alimentar para perda de peso.
  • Melhorar a digestão ao equilibrar os ácidos estomacais

Cloreto de magnésio efeitos colaterais existem?

É preciso alertar que o cloreto de magnésio efeitos colaterais existem, entretanto, as ocorrências costumam ser raras e normalmente são resultado do uso incorreto da substância com ela sendo ingerida em excesso. Uma maneira de minimizar as reações adversas é de não mastigar as cápsulas ou esmagar os comprimidos, pois, isso pode fazer com que todo o suplemento seja absorvido de uma única vez pelo organismo. Mesmo quando a utilização ocorre com a ingestão lenta, deve-se ingerir uma grande quantidade de água filtrada junto para amenizar qualquer efeito. Quando ocorrem as reações adversas, são observados alguns desses sintomas:
  • Dores estomacais: costuma ser mais frequente quando a pessoa já apresenta algum disturbo estomacal;
  • Diarreia: pode ser agravada ou iniciada devido ao efeito laxante que essa substância possui quando consumida via oral;
  • Perda de apetite: por alterar o funcionamento do organismo quando consumido de forma indevida, pode ocasionar a perda de apetite passageira;
  • Colite ulcerosa: ocorre na mucosa interna do intestino grosso e do reto e causa a inflamação do local, o uso pode agravar a situação;
  • Desidratação: a superdose dificulta a absorção de água pelas células;
  • Toxidade: quando ingerido em altas doses ou por pessoas que possuem sensibilidade a ele;
  • Queda de pressão: pode desregular o funcionamento do organismo em doses excessivas e afetar a pressão arterial;
  • Fraqueza muscular: o sintoma pode ser confundido como a falta de magnésio, porém, a dosagem em excesso pode causar o mesmo problema;
  • Redução do efeito de antibióticos: se consumido junto ele pode inibir a ação do medicamento e fazer com que o seu efeito seja nulo;
  • Urticária: a reação alérgica pode ocorrer como um efeito colateral pôr a pessoa ser alérgica;
  • Tontura: esse é outro efeito colateral que costuma ser oriundo de super dosagem e não de intolerância a substância;
  • Inchaço: também resultado de uma reação alérgica, se não receber a devida atenção pode levar a dificuldade de respiração;

Em que situações o cloreto de magnésio deve ser evitado?

Conforme já explicamos o cloreto de magnésio efeitos colaterais podem ocorrer quando há uma superdosagem, por isso ele não deve ser consumido sem que haja orientação de um especialista ou que a pessoa se informe da maneira correta de consumo. Em produtos comercializados embalados, as orientações de uso são disponibilizadas em uma bula ou em um guia. Outro ponto de atenção é em relação à diarreia, pois, esse mineral possui propriedades laxativas o que viria a iniciar o problema. Quem possui problema de saúde como nos rins e miastenia grave o consumo também é contraindicado uma vez que a condição do paciente pode ser agravada. É importante saber que os efeitos colaterais e a contraindicação são situações diferentes. O primeiro se refere a reações adversas decorrentes do uso do produto, pode ser que o organismo não reaja bem e demonstre isso com os efeitos colaterais que são percebidos de maneira física. A contraindicação analisa a situação do paciente e diz se ele possui alguma restrição ao uso, normalmente alguma doença pré-existente que possa se agravar ou uso de algum medicamento que tenha interação e o seu efeito anulado. Em ambos os casos, é preciso buscar ajuda médica.

Quem são as pessoas indicadas a usar o cloreto de magnésio e que possuem menores chances de ter efeitos colaterais?

Para algumas pessoas, existe a indicação do uso do cloreto de magnésio, nesses casos as chances de ocorrem os efeitos colaterais são menores uma vez que não se faz uso indiscriminado. Fazem parte desse grupo:
  • Diabéticos: esses pacientes acabam eliminando o magnésio junto com a glicose e podem ter falta dele;
  • Alcoólatras: eles eliminam a substância em grande quantidade e o álcool impede a absorção dela pelas células;
  • Idosos: pessoas mais velhas produzem menos ácido clorídrico e têm dificuldade em absorver o magnésio
  • Pessoas com alimentação ruim: como não conseguem adquirir os minerais necessários por meio da alimentação precisam recorrer a suplementação
  • Mulheres que fazem reposição hormonal ou usam anticoncepcional: não serão todas as mulheres nessa situação que precisarão da suplementação, porém, com as alterações hormonais a absorção do magnésio pode se tornar mais difícil
  • Utilização de suplemento de cálcio: o uso desse tipo de suplemento pode inibir a absorção do magnésio sendo preciso intensificar o consumo

Como fazer o uso do cloreto de magnésio e evitar os efeitos colaterais?

A recomendação de uso é que o pó seja diluído em água filtrada e consumido cerca de 50 ml por dia da mistura, sendo que ela deve ser ingerida ao longo do período com pequenas doses. O pó pode ter um sabor não muito agradável ao paladar e existem outras opções para consumir esse suplemento. As cápsulas são bastante procuradas, pois, já estão com a dose certa para consumo, são levadas facilmente para qualquer lugar e não permitem que o sabor amargo seja percebido pelo paladar. Existe ainda outra opção para quem busca esse produto industrializado. Ele é encontrado na forma líquida e deve ser consumido em gotas e ingerido com uma grande quantidade de água. Ao fazer isso é possível evitar cloreto de magnésio efeitos colaterais, pois, não haverá uma superdosagem que venha comprometer a saúde. Outra maneira de conseguir obter esse mineral para o organismo é mantendo uma alimentação equilibrada ao inserir no cardápio alimentos ricos nele como o farelo de trigo, nozes, agrião, beterraba, carnes e laticínios. A questão é que a falta de magnésio no organismo tem se tornado cada vez mais frequente em decorrência da alimentação inadequada, uso de produtos químicos nos alimentos que interferem na absorção desse mineral e aumento do consumo de produtos industrializados que não possuem uma dose adequada as necessidades. Por conta disso é que a suplementação tem se tornado mais frequente, uma vez que com a rotina as pessoas não estavam conseguindo se manter saudáveis com os níveis ingeridos. Há também o fato dele ser facilmente encontrado em farmácias e sites na forma de suplemento. Um ponto de atenção na hora de compra é observar se ele possui a descrição “PA (Puro para Análise)”, o que indica que ele é mais concentrado e melhor absorvido pelo organismo. Aliado a isso há o uso simples, a rápida absorção pelo organismo e os valores acessíveis. Portanto, é possível utilizar o cloreto de magnésio comprado pronto para uso, fazendo a ingestão diária conforme a orientação do fabricante e, seguindo as regras não se corre o risco dos efeitos colaterais. Sabendo do cloreto de magnésio efeitos colaterais e benefícios que oferece, sabe que é um mineral seguro para consumo e que pode fazer parte da sua dieta. Que tal adquirir um suplemento e começar a aproveitar os ganhos que ele proporciona?
Cloreto de Magnésio: Para que serve

Cloreto de magnésio: para quê serve?

Você já deve ter ouvido falar da importância das vitaminas para o organismo. Os minerais são igualmente indispensáveis. Em se tratando de cloreto de magnésio está, benefícios e funções são ainda mais essenciais. Será que você feito uma ingestão adequada desse mineral? Contando com diferentes funções no organismo, o magnésio está relacionado ao controle de doenças físicas e também emocionais. Dessa forma, é preciso manter seus níveis em alta. Entenda melhor para quê serve esse mineral e como aumentar sua ingestão a seguir!

Cloreto de magnésio: como funciona e quais as funções

Mesmo que não seja tão mencionado quanto outros minerais como o ferro e o cálcio, o magnésio é tão importante quanto. No organismo, sua presença é importante para o controle do diabetes, por exemplo. O mineral está relacionado ao equilíbrio de produção de insulina. Uma quantidade adequada da substância também é capaz de prevenir e aliviar crises de enxaqueca. O que acontece é que sua presença ajuda na dilatação dos vasos sanguíneos. Veja outras funções essenciais:
  1. dilata os brônquios, contribuindo igualmente para evitar asma e problemas respiratórios;
  2. estimula a lipólise, processo de quebra de gordura, sendo um aliado do emagrecimento;
  3. faz parte do processo de produção de serotonina, atuando contra a depressão.
O déficit de magnésio está diretamente relacionado a situações de estresse e dificuldades emocionais. Por isso, cada vez mais o mineral vem sendo apontado como essencial para tratamentos psicológicos.
Promoção Cloreto de Magnésio é na Nature Center
Promoção Cloreto de Magnésio

Qual é a quantidade recomendada de Cloreto de Magnésio no organismo

A quantidade de magnésio para cada organismo varia ao longo da idade. Conforme o tempo passa, há a necessidade de aumentar a ingestão da substância. Em média, a Organização Mundial da Saúde orienta que:
  • crianças de 0 a 6 meses precisam de 30mg;
  • crianças de 7 a 12 meses precisam de 75mg;
  • crianças de 1 a 3 anos precisam de 80mg;
  • crianças de 4 a 8 anos precisam de 130mg;
  • crianças de 9 a 13 anos precisam de 240mg;
  • meninos de 14 a 18 anos precisam de 410mg;
  • meninas de 14 a 18 anos precisam de 360mg;
  • Homens acima de 18 anos precisam de 400 a 420mg;
  • Mulheres acima de 18 anos precisam de 300 a 320mg;
  • Gestantes precisam de 310 a 320mg;
  • Mulheres amamentando precisam de 310 a 320mg.
Idosos devem manter a mesma quantia determinada a partir dos 18 anos. Tomando cuidado extra para qualquer sintoma que indique deficiência de magnésio.

Como aumentar o consumo de magnésio: preço, alimentos, suplementação

O primeiro passo é sempre manter uma alimentação rica em alimentos folhosos de cor verde escura. No entanto, é importante explicar que não basta ter uma ingestão correta, a substância precisa ser devidamente absorvida pelo organismo. E isso depende do consumo de outros minerais. O preço varia de acordo com sua escolha de consumo. A maneira mais prática de garantir a presença de magnésio é por meio de suplementação natural. Existem cápsulas que oferecem uma versão preparada para ser absorvida pelo organismo. Fique atento apenas em relação a quanto precisa consumir diariamente. A principal medida é a reação digestiva. Se houver ocorrência de diarreia, por exemplo, é sinal de que está acima do necessário. Você já conhecia as funções e benefícios do cloreto de magnésio para o corpo? Compartilhe esse artigo e ajude mais gente a compreender a importância desse mineral!

Cloreto de Magnésio: Como Tomar

Você sabia que pessoas com diabetes costumam ter deficiência de minerais importantes? É por isso que pode ser necessário fazer uma suplementação com cloreto de magnésio. Como tomar, quais são os benefícios, que outros minerais são importantes, tudo você vai descobrir nesse artigo! Com o cloreto de magnésio, é possível prevenir muitas doenças e distúrbios. Ainda que não seja tão popular, é importante que você entenda que a Organização Mundial da Saúde recomenda uma ingestão de pelo menos 260mg da substância diariamente. Será que você tem conseguido? Se está em dúvida, entenda melhor como inserir o magnésio na sua alimentação e como tomar como suplemento!

Minerais: porque o organismo precisa deles

A composição do nosso corpo conta com 4% de minerais. E embora pareça uma quantidade pequena, é extremamente relevante para a saúde do organismo. São nutrientes com uma ação determinante na prevenção e controle de diferentes doenças e distúrbios. Você, com certeza, já ouviu sua mãe dizer que precisa beber leite para ter ossos fortes, não é verdade? O cálcio está presente no leite e é um aliado da densidade óssea. Além do magnésio e do cálcio, nosso corpo precisa também de: Muitos deles podem ser assimilados a partir da alimentação. A questão é que existem hábitos alimentares que podem atrapalhar a absorção. É por isso que o cloreto de magnésio é um bom aliado. O cloreto é um suplemento que facilita essa absorção. Bastante solúvel, o que acontece é que chega ao intestino delgado em sua forma livre. Todos os minerais contribuem para o bom funcionamento do organismo. E isso inclui ajuda no equilíbrio de triglicerídeos e também na quantidade de glicose no sangue. É por isso que o magnésio é essencial para diabéticos.

Falta de magnésio: quais são os sintomas

Um dos principais problemas da falta de magnésio é que os sintomas nem sempre são fáceis de compreender e diagnosticar. Isso porque os malefícios dessa deficiência são variados. Você sabia, por exemplo, que a ausência desse mineral pode contribuir para os quadros de depressão? Enxaquecas e dores de cabeça também estão relacionadas à falta de magnésio. Outros sintomas são:
  • náusea;
  • convulsão;
  • fadiga;
  • fraqueza;
  • pressão arterial descontrolada;
  • cãimbras;
  • espasmos coronários;
  • taquicardia;
  • convulsão;
Até mesmo mudanças na personalidade estão relacionadas ao déficit de magnésio. Isso acontece porque a ação do mineral age em diferentes fontes. Durante a infância e o crescimento, o magnésio contribui para a formação dos ossos e dentes. Ao longo de toda a vida, o mineral age para os processos de vasodilatação das veias — assim como na redução de açúcar e absorção de insulina, como já mencionado. Com função muscular e nervosa, a ingestão de cloreto de magnésio também tem uma ação direta na produção de ATP, já ouviu falar? O trifosfato de adenosina está diretamente relacionado à produção de energia. Na verdade, em uma explicação resumida, esse sistema energético é considerado uma espécie de bateria recarregável do corpo. É o que ajuda a manter os níveis de disposição todos os dias. E se está em queda, essa produção faz com que todo o corpo sofra. Daí a sensação de fraqueza e a contribuição para os quadros de depressão e ansiedade. A fibromialgia é outra doença cujos sintomas podem ser melhorados ou piorados de acordo com a presença de magnésio no organismo.

Grupos de risco — quem sofre mais com o déficit de magnésio

Embora possa ocorrer com qualquer pessoa, existem grupos que tendem mais a sofrer com a falta de magnésio. Para quem tem diabetes, com um quadro descontrolado, o que acontece é que o magnésio acaba sendo eliminado junto com a glicose, sem uma absorção adequada. Nesse caso, a suplementação é praticamente obrigatória. Quem também precisa dessa ingestão:
  • idosos: o estômago diminui a produção de ácido clorídrico conforme a idade vai chegando. Isso faz com que o organismo consiga absorver menos magnésio;
  • alcoólatras: quem bebe álcool em excesso faz com que o organismo tenha menos capacidade de absorção também;
  • obesos: quem tem dietas desregradas tende a não se alimentar de vegetais folhosos, as principais fontes de magnésio. Quem bebe muito refrigerante à base de cola também é prejudicado;
  • mulheres: o uso de anticoncepcionais ou de remédios à base de estrogênio também altera a capacidade de absorção de magnésio naturalmente.
A utilização indiscriminada de laxantes e diuréticos está igualmente relacionada a uma excreção inadequada do mineral. Portanto, a suplementação com cloreto de magnésio é decisiva para a saúde do organismo.

Alimentação saudável: onde encontrar magnésio na dieta

Mas antes de falar sobre o cloreto de magnésio, como tomar e porque é essencial para o organismo, é importante compreender quais são as principais fontes naturais do mineral. Para pessoas fora do grupo de risco, comer certos alimentos ajuda muito a manter os níveis de magnésio. Veja quais são os alimentos mais ricos no mineral:
  • abacate — 29mg de magnésio;
  • acelga — 285mg de magnésio;
  • alcachofra — 60mg de magnésio;
  • amêndoas — 80mg de magnésio;
  • arroz integral — 44mg de magnésio;
  • banana — 27,3mg de magnésio;
  • castanha de caju — 236mg de magnésio;
  • cavala — 97mg de magnésio;
  • chocolate amargo — 327mg de magnésio;
  • coentro — 26mg de magnésio;
  • couve — 34,7mg de magnésio;
  • espinafre — 79mg de magnésio;
  • feijão preto — 60mg de magnésio
  • figo seco — 68mg de magnésio;
  • iogurte natural — 19mg de magnésio;
  • salmão — 27mg de magnésio;
  • sementes de abóbora —100 mg de magnésio;
  • soja — 86mg de magnésio.
A questão é que: você consegue consumir pelo menos três ou quatro desses alimentos todos os dias? Embora a recomendação da OMS seja de 260mg diariamente, a necessidade ideal é acima de 320mg para mulheres e 420mg para homens acima de 30 anos. Para grávidas, o valor é de 350mg. A lista acima considera uma quantidade de de 100 gramas para determinar a quantia de magnésio. Isso significa que uma gestante teria que comer, por exemplo, 100 gramas de arroz integral, 100 gramas de espinafre, 100gramas de feijão preto, 100 gramas de cavala e 100 gramas de semente de abóbora e ainda não conseguiria os valores completos.

Suplementação: porque consumir cloreto de magnésio

Imagine uma pessoa que já sofre com um déficit desse mineral. Mesmo que ela coma tudo de mais rico em magnésio, seu corpo não vai conseguir ter a absorção adequada. É aí que entra a suplementação. O cloreto de magnésio foi desenvolvido de forma a permitir que seja devidamente aproveitado pelo organismo. Mesmo com alguma condição prévia, o mineral consegue ser absorvido, e sem prejudicar outros nutrientes. Seu consumo regular contribui para reduzir e acabar com os sintomas da deficiência. Da mesma forma, contribui para que os níveis de cálcio e potássio, por exemplo, também sejam beneficiados. Para diabéticos, a atuação é interessante especialmente para controlar os níveis de insulina no sangue. Para quem está acima do peso, uma garantia de que a dieta errada não vai prejudicar os níveis de energia, aumentando a chance de emagrecimento. Outro ponto importante é que o magnésio contribui para a melhora dos quadros de ansiedade e depressão. Ainda que não sejam considerados remédios, os minerais atuam como facilitadores da saúde e bem estar. E, principalmente, previnem o aparecimento de distúrbios e doenças nem sempre fáceis de identificar.

Cloreto de Magnésio: como tomar

Você deve estar pensando agora na parte prática. Saber como tomar o cloreto de magnésio é importante para que você consiga a melhor absorção possível. Embora cada organismo possa responder de um jeito diferente, o ideal é que o cloreto seja consumido de 2 a 3 vezes ao dia, junto com a refeição. Para casos em que o déficit está muito elevado, essa ingestão pode ser mais alta. Apesar de contar com poucos riscos de ser consumido em excesso, existe um jeito fácil de compreender se a quantidade está acima do indicado. Se você começar a usar a suplementação e tiver ocorrência de diarreias por mais de uma semana, a dose está errada. Do contrário, o consumo do mineral é considerado altamente seguro e saudável para o organismo como um todo.

Uso de suplementos: o que levar em consideração

Para os grupos de risco, pode ser interessante conversar com um especialista para que a dose seja mais alta e de acordo com a interação com medicamentos. Para casos mais simples, o uso de suplementos costuma dispensar receita médica. Isso acontece porque suplementos são produzidos com componentes naturais. Dessa forma, se trata apenas de uma forma otimizada de ingerir os nutrientes que nem sempre conseguem ser absorvidos apenas por meio da alimentação. Em se tratando do cloreto de magnésio, como tomar é um ponto importante, para que a absorção seja adequada. Para outros tipos de suplementos, pode ser essencial consumir em jejum, por exemplo, ou após as refeições. Por isso é importante sempre ficar atento às indicações do produto. Quer saber mais? Clique e saiba mais sobre cloreto de magnésio e seus benefícios! E se você tem interesse em conhecer mais sobre os melhores suplementos no mercado, não deixe de visitar a página oficial da Nature Center! O site conta com o que há de mais modernos em suplementos e aliados da saúde e do bem estar!

Inscreva-se para receber novidades e ofertas exclusivas

SAC / Televendas: (31) 3063-8989
E-Mail: sac@naturecenter.com.br
Rua Juruá, Bairro da Graça, Belo Horizonte/MG - CEP 31140-020
© 2010 – 2020 – Nature Center - Todos Os Direitos Reservados

Ao finalizar seu pedido, você concorda com as nossas condições de uso. Verifique a nossa Política de Privacidade, Cookies e Anúncios Baseados em Interesse.