Cálculo do IMC: qual importância do índice da massa corporal

O cálculo do IMC tem uma função bem importante na avaliação da condição de saúde de uma pessoa. Hoje em dia, não só pela estética como também pela preocupação em manter seu corpo saudável, muitos indivíduos desejam chegar ao peso que acredita ser adequado para garantir uma boa qualidade de vida e bem-estar. O principal passo a ser dado é saber como funciona o cálculo do IMC e qual a sua importância dentro do processo.

 

Muitos dos que procuram começar uma prática saudável de exercícios físicos, e com uma dieta equilibrada, tem como principal objetivo evitar o desenvolvimento do sedentarismo e da obesidade, males presentes com bastante prevalência atualmente, e que podem causar inúmeros danos ao nosso corpo, principalmente ao provocar hipertensão, diabetes, dentre outras condições.

 

O cálculo do IMC, ou seja, o índice de massa corporal, é uma ferramenta importante, pois, através dele, podemos identificar quaisquer problemas como a desnutrição ou a obesidade em idosos, adultos ou jovens. Esse índice, que se trata apenas de uma referência, analisa e identifica se o seu peso se encontra acima ou abaixo do que é considerado adequado.

 

Além disso, graças ao cálculo do IMC, descobrimos qual deve ser o nosso peso ideal em relação a nossa altura, de maneira com que a gente alcance a melhor forma para o nosso corpo. Quer saber mais sobre a sua importância e como funciona o cálculo do IMC? Acompanhe nosso texto!

 

O que é o IMC e como é calculado?

O cálculo do IMC, ou Índice de Massa Corporal, nada mais é do que uma forma para calcular se o peso do indivíduo está adequado conforme a sua altura e se ele se encontra também na faixa normal.

 

É preciso utilizar essa referência como base para melhorar a qualidade de vida, pois seus indicadores mostram se o paciente está em quadro de desnutrição, sobrepeso ou até mesmo de obesidade, que podem acarretar em outros graves problemas como hipertensão, anemia ou diabetes.

 

Atualmente, o cálculo do IMC é aceito pela OMS e pela comunidade médica no geral. Entretanto, vale lembrar que é apenas uma referência e que ele não mede o estado nutricional no qual o paciente se encontra e nem a porcentagem de gordura, ou seja, é importante que seja interpretado por um profissional de saúde de forma adequada.

 

Outros fatores fazem grande diferença na hora do cálculo do IMC, como por exemplo, a idade do indivíduo e o seu gênero, mesmo que não entrem na fórmula do cálculo. Justamente por isso, o índice nunca deve ser avaliado de forma isolada, sempre deve-se considerar todos os fatores do paciente de forma que se entenda que o índice tem papel apenas de referencial.

 

Como é calculado o IMC?

A fórmula para o cálculo de IMC é feita através da divisão entre o seu peso pela a sua altura, sendo essa elevada ao quadrado. Um exemplo: um indivíduo que mede 1,63 e pesa 59 kg. A altura será colocada ao quadrado, ou seja, 1,63 x 1,63 = 2,65. Quando dividimos  59 pelo valor encontrado, chegamos em 22,3. Pela tabela, indica que o paciente tem o IMC considerado normal.

 

Por mais que se trate apenas de um valor referencial, o resultado do cálculo do IMC é de vital importância para verificar o grau do paciente: se ele se encontra em um peso normal, sobrepeso, obesidade ou abaixo do esperado. Outra função importante é verificar a quantidade de calorias que o indivíduo deve consumir ou deixar de consumir em casos de dietas.

 

Tabela do IMC

E aqui chegamos em um ponto importante do cálculo do IMC: a tabela de valores! Através dela, observamos em valores de referência qual é o quadro do paciente. Vale lembrar que os cálculos são feitos utilizando quilogramas e metros como unidades, e o resultado é em quilograma por metro quadrado.

 

 

Na tabela, observamos que quando o paciente está com o IMC menor que 18,5 kg/m2, é considerado abaixo do peso. É considerado normal o IMC entre 18,5 e 24,9kg/m2, e acima do peso entre 25 e 29,9kg/m2.

 

Ao ultrapassar 29,9 kg/m2, já chegamos à obesidade, dividida em três graus diferentes:

 

  • Obesidade de grau I – ocorre entre 30 e 34,9 kg/m2
  • Obseidade de grau II – entre 35 e 39,9 kg/m2
  • Obesidade de grau III – acima de 40 kg/m2.

 

É importante também saber interpretar o cálculo do IMC: se seu peso se encontra abaixo do ideal ou nos padrões normais e você apresenta sinais como queda capilar, fragilidade nas unhas, ansiedade, cansaço ou falhas no ciclo menstrual, é importante procurar um médico. Nesses casos, o risco de desenvolver hipertensão é menor, mas é necessário se atentar a esses sinais.

 

Pacientes acima do peso podem sofrer com cansaços ou má circulação do sangue. Já o paciente obeso, apresenta risco de desenvolver infarto ou angina, falta de ar, apneia obstrutiva do sono, acidentes vasculares cerebrais, dificuldades para se locomover e refluxos constantes.

 

Importância de conhecer o peso ideal

Por mais que seja apenas valores referenciais, o cálculo do IMC ainda permite que o indivíduo realize um teste rápido e de baixa complexidade para avaliar a sua saúde.

 

Quando o paciente se encontra abaixo do peso ideal, por exemplo, pode apontar um quadro de desnutrição e anemia, com sinais e sintomas clínicos que o levem a procurar um médico especialista.

 

Ou, quando o paciente se encontra acima do peso ideal ou em quadro de obesidade, observamos que há elevação na presença de gordura no organismo, o que aumenta o risco de desenvolvimento de inúmeras doenças como hipertensão ou diabetes, além de infarto, AVC, dentre outros.

 

Conhecer o peso ideal é importante para ter noção de como anda a sua saúde. Mesmo que se trate apenas de um valor referencial, ele faz com que você perceba certos aspectos e procure um médico especialista para realizar todos os exames complementares indicados, com o objetivo de melhorar a sua saúde e a sua condição de vida.

 

 

Quando não é válido o Índice IMC?

Há diversas limitações presentes no cálculo do IMC, o que torna esse índice inválido em alguns aspectos. Quando o indivíduo é criança, idoso, gestante ou que já está na área da musculação, deve-se adotar certas especificações adequadas a cada tipo de organismo que será avaliado.

 

No caso de crianças, por exemplo, o seu índice sofre alterações conforme os anos, por isso, devemos considerar suas respectivas faixas etárias.

 

Nos idosos, notamos uma proporção diferenciada em relação à massa magra e a sua gordura corporal. Já no caso de uma gestante, o índice de IMC é totalmente inválido, pois não se considera o peso do bebê no cálculo.

 

Outro exemplo de invalidez do índice é no caso de pessoas musculosas, pois o índice não faz a diferenciação entre o tecido adiposo e o muscular, logo o resultado pode ser alterado e constar como obesidade, mesmo que a pessoa seja saudável.

 

O cálculo do IMC é importante para dar uma noção do estado de saúde do indivíduo e ver o quanto de calorias você precisa adicionar ou remover da sua dieta. Por mais que tenha suas limitações, continua um índice confiável e que serve como base para garantir bem-estar e saúde para a sua vida.

Curtiu ? Ficou curioso ? Leia mais sobre Alimentação no nosso blog.
Curtiu ? Ficou curioso ? Leia mais sobre Emagrecimento no nosso blog.
Curtiu ? Ficou curioso ? Leia mais sobre Saúde no nosso blog.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Últimas Postagens

Curtiu ? Ficou curioso ? Leia mais sobre Fitness no nosso blog.